Clique para ouvir o texto destacado! Distribuído por Discurso G
itenfrdeptes

Compartilhe nosso conteúdo!

editado por Carlo Lapucci

A plantinha é procurada pela sua singularidade e beleza, mas não é muito fácil de encontrar; talvez por isso seja um símbolo de desdém ou reserva. Na verdade, adora lugares geralmente fora dos roteiros mais conhecidos, em matas densas e sombreadas, áreas íngremes e úmidas e campos de pedras. Tem de 40 a 90 centímetros de altura. Tozzetti escreve: «Os frutos com cálices, quando perfeitamente maduros, adquirem uma cor vermelha mínima brilhante [ou laranja]. Após este período, permanecendo na planta no outono, o parênquima é corroído pela chuva ou por insetos, e os referidos cálices apresentam uma bela rede de fibras lenhosas, dentro das quais está a baga vermelha”. 

O nome científico é Physalis alkekengi das Solanáceas. O termo alkekengi é uma palavra que vem do árabe passando pelo espanhol. Já foi chamado de alicacabo e se espalhou pelas línguas europeias: alquequenie, cacarangi, alicacabum. Igualmente curiosos são os termos do dialeto: erva cocca, balões, cerejas, alicacabo, pittadonne, roseta de trigo, chinchigero, accatengi, erva canina, boné de judeu, pimenta de São Vicente, bexiga, chocalhos, solatro, pan del cucco. Alguns nomes também são atribuídos indistintamente a outras espécies.

Os balões têm formato semelhante a uma lanterna e são comumente chamados também Lanterna de Diógenes. O erudito Diógenes Laércio relata em A vida dos filósofos (Diógenes V) que o filósofo grego adorava ensinar com gestos significativos e muitas vezes caminhava pela cidade em plena luz do dia com uma lanterna acesa. Aos que lhe perguntavam por que andava com o sol no céu segurando uma lâmpada acesa, ele respondia: “Estou procurando homem!”. Significa um “homem de verdade”, digno desse nome, que não conseguiu encontrar, sendo em sua opinião muito raro. 

A planta, que tem uma baga que lembra uma lâmpada, recebeu o nome da lanterna portátil mais famosa da história. A lenda acrescentou mais tarde que, ao envelhecer, um dia Diógenes esqueceu sua lâmpada em uma floresta e daí nasceu a planta.

O fruto é do tamanho de uma cereja, comestível, diurético, de sabor agridoce, pouco excitante, com muitas sementes, pouco sumo e pouca polpa. Era uma vez compotas feitas com ele. Recolhido em cacho e colocado em casa, o espinheiro é muito agradável e com cuidado pode até durar vários meses, mas não vale a pena destruir tal criatura, que também é rara e hoje também protegida.

Clique para ouvir o texto destacado! Distribuído por Discurso G