Clique para ouvir o texto destacado! Distribuído por Discurso G
itenfrdeptes

Compartilhe nosso conteúdo!

O povo do Ticino perdeu a voz

Quem sabe o que pensará do Céu Monsenhor Aurelio Bacciarini, ao ver cessar a sua publicação o seu "Giornale del Popolo", ainda hoje o único jornal católico em toda a Suíça. E Giuseppe Lepori, Aurelio Gabelli e Alfredo Leber, os jovens de vinte e poucos anos a quem o Bispo confiou o início do jornal em 21 de dezembro de 1926, também partilharão do seu pesar. Principalmente Leber, que a dirigiu durante cinquenta anos, modernizando seu parque gráfico e aproximando-o da realidade do povo através da abertura de escritórios regionais.

A dolorosa decisão de encerrar definitivamente o jornal, que o bispo de Lugano, Dom Valerio Lazzeri, foi obrigado a tomar, é apenas o epílogo de uma situação difícil, especialmente económica, que se arrastava há alguns anos, apesar de Dom Corecco estar no no final dos anos oitenta tentou modernizar a linha editorial, aproximando-a daquelas do Concílio Vaticano II e do Papa Wojtyla, e na primeira década do novo milénio o Bispo Vovô trabalhou para contrariar vigorosamente a crise financeira, também com a inclusão do Giornale del Popolo no grupo Corriere del Ticino, que adquire 49%. O golpe de misericórdia, como afirma a diocese de Lugano no seu site, surge como resultado "das vicissitudes da Publicitas AG - em Liquidação - Opfikon, recentemente divulgadas pelos meios de comunicação, da situação que surgiu para o Giornale del Popolo, suportada em parte significativa pelas receitas publicitárias por ela arrecadadas e que agora desapareceram”. 

Hoje em dia, em todo o lado, não só no Ticino, o papel impresso está em crise devido às novas tecnologias multimédia interactivas, mas pode-se perguntar por que, numa população católica do Ticino estimada em 240.000 almas, havia apenas sete mil assinantes.

É de notar com prazer que Monsenhor Lazzeri quis ajudar aqueles que perderam o emprego devido à crise no campo jornalístico com a fundação da “Associação de Jornalistas e Trabalhadores da Comunicação Social Solidária”, para os apoiar na sua integração profissional e conceder ajuda adicional de natureza financeira. Através da angariação de fundos, também através da sensibilização do público, e da organização de qualquer iniciativa que possa ser útil, a distribuição será feita de acordo com as leis sindicais, centrando-se sobretudo a favor dos antigos funcionários do Giornale del Popolo.

Mas para o cristão, cada dificuldade é também uma abertura à esperança e ao replanejamento, consciente de que “de noite ou de dia a [boa] semente germina e cresce” (Mc 4,27). Há um vasto campo de outros meios possíveis que a diocese de Lugano pode utilizar para chegar ao povo com a evangelização, e outros certamente serão sugeridos pela imaginação do Espírito Santo a quem sabe ouvir humildemente.

O que Dom Guanella escreveu para a imprensa aplica-se à comunicação em geral: “A imprensa forma a opinião e por trás da opinião dirige o mundo dos homens. A imprensa é o motor universal. Ah, por que as pessoas boas ainda não acreditam na eficácia [71] da boa imprensa? “(O homem da montanha, op. omnia III 1023). 

Clique para ouvir o texto destacado! Distribuído por Discurso G